Blog Puro Bem-Estar

/Tendências

Purificador e filtro: São a mesma coisa?

 

Mesmo que, segundo o Instituto Trata Brasil, cerca de 82,5% dos brasileiros recebam água tratada em suas casas, precisamos ter um cuidado redobrado com a qualidade da água que consumimos. Isso porque, mesmo que ela saia limpa e pura da estação de tratamento, passa por diversas tubulações e reservatórios antes de chegar ao nosso copo e pode ser contaminada durante esse caminho.

 

Como solucionar esse problema?

 

Muitas pessoas optam por utilizar filtro ou purificador para limpar as impurezas que ficam na água. No Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de 4Geografia e Estática), aproximadamente 54% das casas contam com um desses equipamentos. Essa é uma boa forma de retirar as impurezas que tenham se misturado a água após o tratamento.

 

Mas qual a diferença entre filtro e purificador?

 

Mesmo que popularmente chamemos todos os equipamentos que limpam nossa água de filtro, devemos considerar que o purificador possui funcionamento e funções diferentes.

 

Modo de funcionamento

Filtro e purificador são divididos, primeiramente, pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) segundo o seu funcionamento. Os filtros são equipamentos que agem por gravidade, ou seja, a força da gravidade fará com que a água vá do recipiente mais alto para o mais baixo, passando pela vela, que também pode ser encontrada no mercado com o nome de filtro de reposição, filtro repositor, elemento filtrante ou refil. Já os purificadores funcionam por pressão. Assim, a água passa pelo elemento filtrante a partir da pressão exercida, normalmente, pela rede hidráulica da casa.

 

Função

Outra forma de diferenciar o filtro do purificador é quanto as suas funções.

O filtro, que, normalmente, possui vela de cerâmica, retém sedimentos que tenham se misturado a água, como por exemplo, pequenos grãos de areia. Já existe no mercado velas com carvão ativado, que decloram a água e também velas revestidas com prata coloidal, que evita a proliferação de bactérias.

As vantagens em adquirir um filtro é que ele nunca utiliza energia elétrica (diferente do purificador, que pode ser elétrico ou não) e é vendido por um preço bem mais acessível.

No entanto, sabemos que com saúde não podemos economizar. Então, o purificador é a opção mais completa para a limpeza da água, pois, além de reter as partículas que se alojam na sua superfície, utilizando uma vela de polipropileno, também elimina bactérias e o cloro, acrescentado na água nas Estações de Tratamento, por meio de tecnologia como o carvão ativado e a luz ultravioleta.

O nível de purificação e decloração pode ser medido por uma escala, atestada pelo Inmetro. A purificação pode ser medida pelo índice ?P?, que vai do ?P6?, com filtragem básica, ao ?P1?, que retém até a menor partícula existente. Já a decloração é classificada pelo índice ?C?, que varia do ?C6?, com baixa capacidade, ao ?C1?, que retira 99% do cloro da água.

 

Todos os purificadores da Latina, por exemplo, possuem classificação C1P1. Isso quer dizer que a água que eles fornecem possui o mais alto índice de pureza. Além disso, os modelos PN555 e PA755 adicionam sais minerais à água, tornando-a ainda mais saudável.

 

Veja também:

 

 

Voltar
}